A taça Amizade. Disputada em 1920

Paulista e Amparo iniciam no próximo domingo as suas participações oficiais no futebol profissional em 2018. Apesar de não se encontrarem a muito tempo, o confronto tem muita história, com direito a decisão de título, confronto direto contra rebaixamento e até amistosos valendo taças. É a história de uma dessas taças que vamos contar.

No início do século passado quando o futebol ainda era amador no Brasil, era comum as equipes disputarem amistosos e serem ofertadas taças para os vencedores dos confrontos, geralmente patrocinadas por empresários, comerciantes, dirigentes, políticos ou até mesmo torcedores dos clubes.

Em 1920, nos primeiros confrontos entre as duas equipes, Paulista e Amparo disputaram dois amistosos valendo a Taça Amizade, ofertada pelos Srs. Alceu Fontes e Noé Cardelli, admiradores dos dois clubes.

O Paulista se preparava para a disputa do Campeonato do Interior válido ainda pelo ano de 1919, enquanto o Amparo com menos de um ano de vida vinha chamando a atenção no cenário futebolístico disputando amistosos contra as demais equipes do interior e também da capital, alcançando bons resultados.

No dia 18 de janeiro de 1920, o Paulista foi até Amparo enfrentar o time local pela primeira vez na história. No dia seguinte, o jornal O Estado de S. Paulo publicou uma nota do jogo informando o resultado de 0 a 0, destacando a dificuldade da partida e a atuação do goleiro do time amparense, Tuffy, que teria feito assombrosas defesas.

Três semanas depois, no dia 8 de fevereiro de 1920, o Amparo retribuiu a visita do Paulista e veio até Jundiaí enfrentar o Tricolor no estádio da Vila Leme cujo gramado foi classificado pelo jornal Correio Paulistano como esplêndido.

No primeiro tempo, os amparenses mostraram-se melhores organizados e tiveram as melhores oportunidades, mas pararam na grande atuação do experiente goleiro Bruno Poltronieri. Esta partida marcou a estreia no quadro jundiaiense do centro-avante Camargo, vindo da Ponte Preta de Campinas e que se tornaria um dos maiores jogadores da história do Paulista atuando com a camisa tricolor entre 1920 e 1934. Foi dele o primeiro gol da partida e sua atuação foi classificada como estupenda.

O outro gol da vitória tricolor foi marcado por Virgílio, sacramentando o placar de 2 a 0 e a conquista da Taça Amizade, que até hoje ornamenta a sala de troféus do Paulista no estádio Dr. Jayme Cintra.

Como curiosidade, a escalação do Paulista nesta partida foi a mesma que pouco mais de dois meses depois conquistaria o título de Campeão do Interior de 1919, goleando o XV de Piracicaba na final. O Paulista atuou com Bruno; Lilo e Paulino; Rosa, Virgílio e Tatu; Batata, Miguel, Camargo, Minguta e Lamaneres.

Por: Ivan Gottardo 
Engenheiro. Torcedor e pesquisador da história do Paulista Futebol Clube